(...) E se a vontade é de chorar, é tão bonito quando brota para limpar, desopilar e respeitar uma dor. É uma forma de expurgar e produzir um processo de cura. Eu participo do Planeta, isto faz de mim passível a todo e qualquer acontecimento ou sensação, mas não me causa medo, porque fiz as pazes com o Mundo há muito tempo.

Eu não sou mais feliz que ninguém, mas eu sei que a felicidade adora se aconchegar em mim. Por isto: ACEITO E AGRADEÇO SEMPRE: a primeira coisa que faço ao acordar e a última antes de dormir.

(Marla de Queiroz)

Perder um animal sempre foi muito difícil pra mim, choro, sofro e sinto a falta sempre.

Hoje minha pretinha se foi. Se foi de uma maneira triste, por uma fatalidade, por um descuido meu, talvez.

Eu espero que ela cruze a ponte do arco-íris e encontre a minha tita. A saudade vai ficar eternizada em mim.


(...)

"Você consegue me ver em todos esses lugares agora, mesmo de olhos fechados?", perguntou.

"Claro. Vi você neles por muitos anos", o Homem disse.

"Então, sempre que você quiser me ver tudo o que precisa fazer é fechar os olhos", disse o Gato.

"Mas você não vai estar lá de verdade", respondeu o Homem com tristeza.

"Ah, é mesmo?", disse o gato. "Pegue aquele barbante do chão - ali, meu 'brinquedo'".

O Homem abriu os olhos, esticou o braço e pegou o barbante. Tinha uns 60 centímetros e o Gato conseguia se divertir com ele por horas e horas.

(...)

"E então, aquele barbante", disse o Gato, "é o único barbante do mundo feito de algodão?".

"Não, claro que não", disse o Homem, "foi tirado de um rolo de barbante".

"E você sabe onde estão todos os outros pedaços de barbante, e todos os outros rolos?", perguntou o Gato.

"Não, não sei... seria impossível saber", disse o Homem.

"Mas mesmo sem saber onde estão você acredita que eles existem. E mesmo que alguns pedaços de barbante estejam com você, e outros estejam em outros lugares... mesmo que alguns sejam curtos e outros sejam compridos, e mesmo que seu rolo de barbante não seja o único no mundo... você concorda que há uma relação entre todos os barbantes?", o Gato perguntou.

"Nunca tinha pensado nisso, mas acho que sim, há uma relação", o Homem disse.

(...)

"Agora pegue uma ponta do barbante em cada mão", instruiu o Gato.

O Homem fez o que foi pedido.

"A ponta na mão esquerda é o meu nascimento, e a na mão direita é minha morte. Agora junte as duas pontas", disse o Gato.

O Homem obedeceu.

"Você formou um círculo contínuo", disse o Gato.

(o gato zen)

ÊEEE, Folia, carnaval -NOT!

Só a unha mesmo... Minha unha está um cotoquinho e eu não sabia o que usar e nem estava com vontade de deixar a unha sem pintar... E com o carnaval aí nas paradas, nada melhor do que muito brilho e uma oportunidade de usar o mais novo esmalte que comprei, o Na Mira 3D da Impala e como base usei o Prata Metálico da Colorama.

Ficou mais bonito do que esperava, tentei captar o máximo a beleza do esmalte na foto, mas não é tão bonito quanto na realidade! Com a luz do sol fica maravilhoso e na sombra também não deixa a desejar. Parece um glitter holográfico! Lindo mesmo! E o precinho é bacana ;)

É uma dica para as foliãs de plantão!


Mama never taught me how to love
Daddy never taught me how to feel
Mama never taught me how to touch
Daddy never showed me how to heal

Mama never set a good example
Daddy never held mama's hand
Mama found everything hard to handle
Daddy never stood up like a man

I've walked around broken, emotionally frozen
Getting it on, getting it wrong

How do you love someone without getting hurt?
How do you love someone without crawling in the dirt?
So far in my life, clouds have blocked the sun
How do you love someone?

(...)
They told me I'd never survive
But "survival" is my middle name

I've walked around hopin', just barely copin'
Gettin' it on, gettin' it wrong

It's hard to talk... to say what's deep inside
(...)

How do you love someone and make it last?
How do you love someone without tripping out the past?
So far in my life, clouds have blocked the sun
How do you love someone?

(Ashley Tisdale - How do you love someone)



Até mesmo Disney me inspira:

- Continue a nadar. (Procurando Nemo)

- Alcançar o céu. (Toy Story)

- Hakuna Matata! Significa sem problemas para o resto de seus dias. (O Rei Leão)

- Até mesmo milagres podem demorar um pouco. (Cinderella)

- Eles dizem que se você sonhar com algo mais de uma vez, com certeza vai se tornar realidade. (Alice no País das Maravilhas)

- Se você viver até os 100, eu quero viver até os 100 menos um dia para que eu nunca tenha que viver sem você. (O Ursinho Pooh)

- Tudo o que preciso é fé e confiança. (Peter Pan)

- Ohana quer dizer família, família quer dizer nunca mais abandonar, ou esquecer. (Lilo e Stitch)

Por que será que temos tanto medo das palavras? Não tanto da palavra escrita, mas da palavra pronunciada. Por que será que ainda acreditamos em palavras mágicas, rezas, abracadabra? Será que se eu agora, nesta gravação, em vez de te contar esta história, simplesmente parar por uns segundos, respirar fundo e te dizer: quero que você morra. Será que isso vai te ajudar a morrer? Será que isso vai te empurrar? Não sei. Sei apenas que, naquele momento, as palavras da mãe de Karen, por mais melodramáticas e teatrais que fossem, tiveram algum efeito em mim. Como quando você assiste a um filme, você sabe que é tudo mentira, fingimento, mas mesmo assim você sente medo e tristeza e alegria e o que for. Por que será que a gente, mesmo sabendo que é ilusão, na hora de sentir sente de verdade? Será apenas catarse? Ou será uma necessidade muito forte, e muito profunda, de viver algo especial? A necessidade dos grandes sentimentos, amor, ódio, honra, bravura.

(Carola Saavedra - Paisagem com Dromedário)


Live, live, live live because you love love love
And love will make you give give give
And give in when you break, break, break
But you just want to fix yourself
Just to break again

(Copeland - The Last Time He Saw Dorie)



"Não deixe quebrar, não deixe romper, não deixe virar grafite envelhecido e esquecido como qualquer contrato sem alma. Corra e cole os pedaços, corra e segure meus pés no chão porque eu estou quase voando, ou me faça voar novamente com você. Por favor, não espere o sanduíche ou a festa do ano, e a minha cara assustada perdida na sua ausência. 

Venha logo, traga de volta a minha certeza, não deixe, por favor, não deixe. Traga um agasalho para esquentar a minha falta de amor e ganhe em troca um ingresso para a minha fidelidade. 

Não espere o horário do trânsito livre, não espere ouvir o que você não quer, não espere a vida dar merda para colocar a culpa na vida. 

Eu ainda estou aqui por você, limpa, ilesa, sua. Mas cada milímetro do meu corpo me implora por vida, por magia, por encantamento. Por favor, me roube, não deixe, não esqueça do nosso pacto em não ser mais um daqueles casais que não conversam no restaurante e reparam tristes nos outros. 

Outro dia ouvi a música do Closer e lembrei o tanto que eu te amava, o tanto que ainda te amo, mas havia esquecido. Eu lembrei que enxergar sem pretensões você dormindo, com o seu ombro caído pra frente fazendo bochechas de criança na sua cara feliz, é a visão do paraíso pra mim. 

Eu preciso de força, eu preciso de ajuda, eu preciso que você me lembre de que eu não preciso de mais nada, que mais nada é tão perfeito e que podemos ser um casal imbatível. 

Caso tudo isso seja um trabalho inconsciente para me perder, parabéns, você está conseguindo. Mas se ainda existir dentro de você alguma esperança, eu preciso demais que você me abrace e me faça sentir aquilo novamente. É fácil, basta você querer, eu ainda quero tanto. 

Venha agora, não espere o músculo, a piada, o botão, o calo, a saudade, o arrependimento, o vazio. Eu preciso sentir que você ainda sente, eu preciso que o seu coração dê um choque no meu, eu preciso saber que seu peito ainda aperta um pouco quando eu vou embora e se espalha como borboletas nas veias quando eu chego. 

Tudo o que eu quero, quando ela me olha sem pressa e sorri nervosa sem saber porque a gente procura se perder. Eu ainda preciso que você me ache bonita, se surpreenda, me comemore e esqueça um pouco de todo o resto pra se encantar sem medo do tempo

Não me tire a razão, não me tire a honra, não me faça estragar tudo só para sentir o vento na cara de novo e a música alta. Berre e assopre em mim enquanto é tempo. 

Eu ainda quero viver para você. Venha agora, ganhe a corrida, passe todo o resto pra trás, é você quem eu continuo eternamente esperando na linha final."

(Tati Bernardi)

Copyright © 2011 Quero refletir amor.... Designed by MakeQuick, blogger theme by Blog and Web | Posts RSS | Comments RSS