Se eu sussurrar agora 
Uma história de amor
Ao pé da cama é pra não te acordar
Desse teu sono bom

E pra ilustrar a história 
Faço um desenho de giz
De uma menina sorrindo no ar 
Sobrevoando Paris

Linda, Bem vinda
O mundo já está tão melhor
Nesse dia, Sorria
Que o amor já se sabe de cor

Não tem vilão na história
Tem muitas luas no céu
Uma girafa lambendo seus pés
Em um jardim de papel

Antes do fim da história
Eu te espero acordar
E num bocejo repleto de ar
Vou te ajudar a voar

Linda, Bem vinda
O mundo já está tão melhor
Nesse dia, Sorria
Que o amor já se sabe de cor

Oi Sol
Oi Flor
Oi Frio
Oi Cobertor
Oi Mar
Oi Rio
Oi Silêncio
Oi Assovio.

(Valsa da filha por vir - Uyara, Ana, Vinicius, Kelly, Vitor, Bernardo)


(A Metamorfose - Franz Kafka - adaptado por Peter Kuper)


Faz tempo eu tô com azia
Durmo mal, tenho alergia
Quando acordo, nem bom dia
E a ducha fria ainda me dói
Em atraso permanente
Escolho a roupa, escovo os dentes
Abro a porta da frente e a luz do dia me corrói

Então eu me pergunto, quando sobra algum segundo
Em que eu reflito sobre o mundo, se funciona e coisa e tal
Concluo que tá preta a situação, pra lá de azeda
O leite que ainda sai da teta nem sequer é integral

Desesperado eu penso em gargalhar
Mas decido respeitar a minha dor
Talvez seja melhor despirocar
De vez, talvez, de vez
Talvez, de vez

No bus eu subo afoito, engolindo algum biscoito
Acotovelo logo uns oito, eu tô cansado e vô sentar
Depois do chacoalhaço, tô no trampo e um palhaço
Mesmo me vendo um bagaço, já começa a me ordenhar

Digito, atendo o fone, meio dia eu sinto fome
Me levanto sem meu nome e vou pra fila do buffet
Depois de dois cigarros, acomodo o meu pigarro
Me reponho de bom grado e termino o afazer

Desesperado eu penso em gargalhar
Mas decido respeitar a minha dor
Talvez seja melhor despirocar
De vez, talvez, de vez
Talvez, de vez

Talvez seja melhor despirocar
De vez, talvez seja melhor
Despirocar de vez
Talvez, talvez

Cansado eu chego em casa, o willian bonner me afaga
Me contando alguma fábula de algo que ocorreu
Requento qualquer rango, cambaleio até o meu canto
Ainda nem fechei o tampo e o meu corpo adormeceu

Desesperado eu penso em gargalhar
Mas decido respeitar a minha dor
Talvez seja melhor despirocar
De vez, talvez, de vez
De vez, talvez

(Despirocar - Apanhador Só)


É você que tem
Os olhos tão gigantes
E a boca tão gostosa
Eu não vou aguentar

Senta aqui do lado
E tira logo a roupa
Esquece o que não importa
Nem vamos conversar

Olha bem mulher
Eu vou te ser sincero
Quero te ver de branco
Quero te ver no altar

Não tem medo não
Eu sei vai dar errado
A gente fica longe
E volta a namorar depois

Olha bem mulher
Eu vou te ser sincero

Eu to com uma vontade danada
De te entregar todos beijos que eu não te dei
E eu to com uma saudade apertada
De ir dormir bem cansado
E de acordar do teu lado pra te dizer
Que eu te amo
Que eu te amo demais

(Quando Bate Aquela Saudade - Rubel)


Breaking Bad: "Quando alguém desviou-se do caminho correto e passou a fazer coisas erradas"


R.I.P. Br Ba !


Baby Blue - Badfinger



Quando um está mal, o outro deve estar bem.

Quando um está irritado, o outro deve ser paciente.

Quando um está cansado, o outro deve encontrar disposição.

Quando um adoece, o outro deve mostrar saúde.

Quando um se envaidece de razão, o outro deve ser humilde no cuidado.

No casal, as fraquezas não podem convergir. Não podem ocorrer simultaneamente.

Se vê que sua parceira explodiu, escolha um momento distinto para desabafar e reclamar. Recue de sua catarse. Deixe para o dia seguinte. Ela nem irá ouvi-lo no acesso de cólera.

Quando os dois decidem ser a parte mais fraca do relacionamento, os laços sucumbem.

Não podem ocupar o mesmo papel, o mesmo script. Só há vaga para um protagonista em cada crise. Alguém terá que ser coadjuvante.

Dois vilões no mesmo filme geram divórcio.

A alternância é o segredo da convivência. Mudar de lugar sempre, analisar quem mais precisa e ceder se for necessário.

O que traz estabilidade é a gangorra: quando a mulher cai, o homem estende o braço, quando o homem vacila, a mulher acode.

A separação acontece quando duas chagas conversam procurando mostrar qual é a mais funda. É quando duas feridas travam uma guerra buscando sangrar mais, e nenhum dos lados estanca a própria carência.

O sofrimento acentua o orgulho, a dor agrava a cegueira, a ansiedade de resolver logo a discordância apenas abre a porta para o fim.

É uma disputa do desespero, e o casal se afoga nas mágoas. Não haverá sequer um salva-vidas acordado.

Ainda que sobre paixão, ainda que reste confiança, nada segura o momento em que os dois coincidem em enlouquecer. A loucura exige troca de plantão.

O casal é capaz de destruir uma história linda e promissora por uma noite de fúria.

A esposa e o marido se transformam em crianças, e crianças abandonadas em casa berrando e com medo. Tentarão gritar alto para chamar os vizinhos e denunciar os maus-tratos. E vão se indispor e se ofender tanto, e vão se provocar e se agredir tanto, que depois é difícil cicatrizar.

Um tem que ser adulto na hora do pânico. Um tem que ser responsável. Um tem que ser forte o suficiente para preservar as fraquezas do amor.

(Fabricio Carpinejar)

Eu sempre tenho que falar menos, pensar moderadamente, sentir sem tanta intensidade, cortar textos, dosar o amor, diminuir a ansiedade, equilibrar o medo. Minha alma de obesa sofre bullying o dia inteiro.

(Tati Bernardi)

6h15
e meu amor,
nem é essa a hora
eu só quis inventar
um motivo
para te falar
e te lembrar
de que ainda
não fui embora

(Julianna Motter)


Queria ser só 
Queria ser só sua 
Queria ser sol 
Mas vivo aos pés da lua 
Queria ser mais 
Só posso ser eu 
Tô encontrando tudo que você perdeu 

Devia ser nós
Devia nossa jura 
Devia de cor 
Vestir minha pela nua 
Devia ser paz 
E não esse breu 
Tô entendendo tudo que aconteceu 

Longe tudo o que pesa 
Quem mandou caber em mim? 
Morde ou senão prenda 
Teima e não tem fim

(Ylana Queiroga e Júlio Morais)

Meu amor eu prometo 
Vou te fazer infeliz 
Pode ser já no começo 
Ou só lá pelo fim 

É uma parte do amor 
A saber que vai ter dor 
Nunca é fácil 
Vamos admitir 

Meu amor eu prometo 
Vou te dar o céu 
E também o inferno 
Não me ache cruel 

Mas cruel é fingir 
Que não há Deus e o mundo 
Prometendo o que não vai cumprir 
Prometendo mundos e fundos 

Meu amor vou te decepcionar 
Tantas e tantas vezes 
Até você entender que pra 
Eu te falar tudo isso é 
Porque eu amo você 

Precisamos nos preparar 
Para a vida que vamos ter 
E talvez destruir 

Só as coisas ao redor 
Vão virar pó 

Escapamos por aí 
Juntos ou sós 

E o pó da nossa história 
Um dia vai cobrir 
Os móveis da nossa casa 
Da árvore 

(Lulina - Prometeu sem Cadeado)

A partir de hoje, vou deixar que o Outro seja: uma boa ou má pessoa, o que lhe aprouver. Tudo que julgo ou critico, tomo como referencial os meus valores. Não há como saber quem está certo a partir disto, e nem tem importância no final das contas. A partir de agora, eu sei quem quero atrair para a minha vida: pessoas que não me façam sentir que estou traindo a mim mesma. Tudo é resolvido com um olhar distanciado e um afastamento físico. Não enfio mais poesia em situações onde o protagonista não sou eu e o coadjuvante não consegue ser lírico. 

 (Marla de Queiroz)


a saudade 
na verdade
é um cômodo

a saudade 
na realidade
é como dor

(Julianna Motter)

Bom dia
Olha as flores que eu trouxe pra você, amor
São pra comemorar aquele dia
Que passei a viver do teu lado
Eu me lembro, entre nós não havia quase nada

E agora é só você que me faz cantar
E é só você que me faz cantar...

Havia mil motivos pra eu não estar naquele show
Mas o nosso destino foi escrito
Sob o som de uma banda qualquer
Eu me lembro, em setembro conheci minha mulher

E agora é só você que me faz cantar
E é só você que me faz cantar

(Bom dia - Los Hermanos)

Diz que gostou da comida que eu fiz
Dos brincos que comprei
Das flores que eu mandei
Minta pra mim!

Diz que é pra sempre
Que não vive sem mim
Que nascemos um para o outro
Minta pra mim!

Ria das minhas piadas sem graça
Termine as frases comigo e diga “compatibilidade de gênios”
Diz que não ouve meu ronco
Que meu cheiro é bom, mesmo quando estou suado
Que dinheiro não traz felicidade
Minta pra mim!

Diz que eu emagreci
Que a dieta da lua tá funcionando
Mas pra eu não emagrecer mais, porque você gosta de “ter onde pegar”

Diz pro mundo, que você sempre me foi fiel
Que eu sou o seu primeiro, não que isso seja importante,
Mas a mentira é

Eu não quero saber da verdade
Odeio gente que diz a verdade
Gente sem coração!

Quando você me deixar....Quando você for embora
Diz que é pro meu bem,
Que é VOCÊ que me faz mal, que eu mereço coisa melhor, que eu sou sensacional
Mas.....MINTA PRA MIM!!

Esse será o nosso combinado, o nosso segredo......eu e você, eternamente....
... como o Sr. Roarke e o Tatoo, numa Ilha da Fantasia

(Alexandre Nero)

Quando me decepciono com alguém, provavelmente me coloquei em segundo plano. Se estou segura de que não tenho o controle sobre o Outro, seu comportamento pode ser frustrante, mas jamais será algo que me tire a capacidade de aceitá-lo mesmo não compreendendo-o. Sou injusta quando pretendo que alguém me surpreenda positivamente sempre: difícil demais termos para dar o que esperam de nós. Pois nós mesmos nos prometemos coisas que não conseguimos cumprir e também nos maltratamos, nos enganamos, nos boicotamos. Por medo de sofrer, vivemos o inferno interior que tememos. Por medo de estar livre, nos aprisionamos ao fantasma da ilusão. Por isso, cuido para arejar meu coração e não intoxicá-lo com o veneno do rancor, medo, insegurança. Meus olhos estão voltados para a luz. Meu corpo recebe amorosamente o que é saudável. Minha sede é de vida. E minhas semanas pretendem sempre a paz.

(Marla de Queiroz)

"As professoras dizerem na sala de aula que "todos somos iguais" e não combater a situação, nunca me livrou de sofrer racismo.

Dia da consciência negra, sim! Sua consciência humana nunca me fez saber da existência de Solano Trindade na escola, nunca me fez aprender em uma aula que o negro resistiu, nunca me ensinou que princesa Isabel não era a redentora. Por falar nisso, por que o dia da Abolição não incomoda tanto quanto o dia da consciência negra? Será porque a personagem principal do acontecimento histórico era uma princesa branca? Sua consciência humana não fez os personagens históricos negros aparecerem no meu livro de história, sua consciência humana não tirou esse grupo da posição de subalternidade. Sua consciência humana não levou os negros recém saídos das casas grandes para o mercado de trabalho, não livrou os meus ancestrais de subirem para os morros por falta de opção, sua consciência humana não livra meninos pretos de serem mortos por estarem em um beco escuro, não livra qualquer negro de ser suspeito, não me livra de olharem estranho pro meu cabelo livre de processo químico. Sua consciência humana não livra os cotistas negros de gente sem informação, sem conhecimento histórico de dizer que cotas são ações racistas. Sua consciência humana não me livra, não me encanta, não me serve de nada. Sua consciência humana serve pra abafar o caso, pra não ver preto falando com propriedade sobre sua própria condição. Sua consciência humana serve pra alienar outros pretos que se negam a se reconhecer como tal, que não percebem que sua negritude os exclui de alguns espaços, que seus traços ainda são um empecilho. Sua consciência humana serve pra você, que fica incomodado quando você não é a estrela da festa. Sua consciência humana é porque você não quer reconhecer sua posição de privilegiado e é melhor desmobilizar do que unir forças, mesmo quando o assunto não é sobre você. 

Eu quero que se lasque sua consciência humana. Eu quero dia do preto, dia pobre, do cigano,do favelado, do viado, da sapatão, da travesti e do nordestino. Quero dia de gente que ainda é invisível por uma sociedade que prefere não falar sobre o assunto, que prefere dizer que todos somos iguais pra não ter que olhar pros direitos de quem ainda não tem tantos direitos assim.

Sua consciência humana, me dá asco."

(Bruna de Paula)


Você é o meu amor
Você vai ser sempre o meu amor
Porque você é o meu amor

Você está aqui quando não está aqui
E quando está aqui, está aqui duas vezes
Uma no meu coração e na outra vez também
Porque você é o meu amor 

(Jorge de Lima)


A Cachorrinha - Vinicius de Moraes

Mas que amor de cachorrinha!
Mas que amor de cachorrinha!

Pode haver coisa no mundo 
Mais branca, mais bonitinha 
Do que a tua barriguinha 
Crivada de mamiquinha? 

Pode haver coisa no mundo 
Mais travessa, mais tontinha 
Que esse amor de cachorrinha 
Quando vem fazer festinha 
Remexendo a traseirinha?

Uau,uau,uau,uau! 
Uau,uau,uau,uau!


Apenas uma:



Matando minha saudade de animes com essa fofura de filme ♥



Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.

(Drummond)

Magali mini-dywa!

construo a poesia para o nosso amor
queria eternizar todos os nós que somos
inútil pensar que posso nos caber - intermináveis,
recomeçamos se achamos um fim,
para nós o horizonte desperta a cidade mais próxima,
não encontro mais em mim o findo
me encho de ti e multiplico:
trapaceamos a eternidade.

(Cah Morandi)


Você é uma delas. Perfeccionista, sim, e ao extremo. Perfeita, não, e eu agradeço. Os astrólogos também dizem que você é corajosa, tem senso de responsabilidade e uma ansiedade incontrolável, porém maquiada. Dizem que você é forte por fora e se morde por dentro, que você é crítica e não gosta de demonstrações dramáticas de amor ou aquelas promessas sentimentais exageradas – sejam elas quais forem. Dizem ainda que você tem a mente pura, mas não é ingênua; tem os gestos calculados, mas não é fria; e até nas brigas mais indelicadas, prefere resolver tudo no tato, no ato, com a delicadeza nata que os astros naquele mês de setembro, de um ano que eu prefiro preservar, fizeram nascer em você. É isso que os astrólogos dizem. E deve ser por isso que eu também te amo. Por você não se cegar facilmente por qualquer amor. Por você ser terrivelmente prática e ao mesmo tempo divinamente romântica, mesmo sem conseguir demonstrar sempre o que realmente sente por dentro: e, às vezes, parecer fria: mas eu sei que é delicada e quente. Por você conseguir enxergar uma lógica em tudo – até mesmo nas paixões mais confusas. Por você saber sofrer calada e ao mesmo tempo não gostar de chorar essas lágrimas por muito tempo. Enfim: por você existir. Os astrólogos se calam. Agora quem fala é a poesia

(Para você que nasceu em setembro; Antônio)

"Tudo o que queremos é a alegria confusa do amor."


Se o amor é o maior dos sentimentos, o que poderia ser maior que ele? O Vanguart responde no seu terceiro álbum que está lindo e não sai do repeat ♥

Ele não me acordou,
Ele entrou no meu sonho!

(Marla de Queiroz)









(Yohana Sanfer)


Eu gostaria muito de agradecer a todos os incentivos para que eu saísse de casa e fosse ver gente. É verdadeiramente revigorante essa sensação de gastar metade do meu salário bebendo tudo o que pintar, gritar com os carros na rua, levar foras de patricinhas e ficar duzentos minutos tentando enfiar a chave na porra da fechadura de todos os prédios da cidade, exceto o meu. Esse masoquismo barato foi, nossa, muito legal. Se é isso que chamam de viver, sou mais de passar o resto dos meus dias afundado no meu sofá lambendo minhas feridas, me auto-erotizando e tirando James Cotton na minha harmônica, torcendo pelo retorno daquela época de ouro em que minha única preocupação era chegar na frente dos outros espermatozoides, já que não tenho triunfado em muitas competições desde lá.

(Gabito Nunes em “Juliete Nunca Mais”)

Eu me pergunto: por que os casamentos estão durando tão pouco? Infelizmente, chego a duas conclusões tristes: fogo de palha ou falta de vontade de enfrentar problemas. Hoje em dia é muito fácil dizer que você ama alguém. As pessoas, cada vez mais carentes, querem alguém para amar. O vizinho tem um amor, a melhor amiga casou, a professora de inglês ficou noiva. E eu? Como assim? Também quero! Então, desesperadas, se atiram na primeira relação razoavelmente saudável. Te amo, te adoro, te quero, te tudo. Casa comigo? Caso. Então as pessoas casam achando que aquilo é a salvação e que, sim, serão felizes. O tempo passa, o furor passa, a paixonite vai embora e o que fica é um vazio que precisa ser preenchido. Ei, cadê o amor? Olha, o amor não está ali, na verdade ele nunca esteve. O que existia era uma ilusão, um desejo de pertencer a alguém, a alguma coisa. Existe, também, a falta de vontade. Atualmente, tudo é descartável. O carro está velho, a gente troca. O celular tá fora de moda, a gente troca. O amigo não podia te atender naquele dia em que você precisava, deixou de ser amigo. Ninguém tem paciência, todo mundo quer felicidade a jato, prazer instantâneo. O cabelo tá ruim, escova progressiva. Não tem tempo para o cachorro, contrata um passeador de cães. Tudo é simplificado, ninguém quer fazer sacrifício. Suar a camiseta, pra quê? Quem quer emagrecer vive atrás de pílulas milagrosas, remédios infalíveis, dietas toscas de revistas que prometem e ficam só na promessa. Na verdade, todo mundo sabe do velho esquema: tem que gastar mais do que ingere. A regra é simples e clara, mas todo mundo quer um meio mais fácil de chegar no tão sonhado peso. A realidade é que as pessoas não querem perder tempo com bobagens. Querem ser bonitas, bem sucedidas, curtir a vida e ter prazer. Prazer, prazer, prazer. Hedonistas, morrem de medo que algo saia do controle.

Tenho uma má notícia para você: relacionamento não é só prazer. Não é só festa, viagem, risada, diversão, brinde, sexo, beijo, cumplicidade. Relacionamento tem fase chata, de vez em quando é uma merda, tem briga, discussão, chatices, rotina, implicâncias, ciúme, bate boca. A gente tem que lidar, conviver e amar uma pessoa que veio de outra família, outro mundo, tem outra criação, outros costumes, outro pensamento, outro jeito de viver, é outro. Você tem que aceitar aquele outro como ele é e isso dá muito trabalho. O amor é lindo, sim, mas ele é a maior recompensa para quem não tem medo de enfrentar os próprios medos (e os medos do outro). Para amar você não pode ter preguiça senão o final nunca vai ser feliz.

(Clarissa Correa)

"E o amor?, você me pergunta. O amor, ah, sei lá. O amor nem dá pra definir direito. Acho que é um desejo de abraçar forte o outro, com tudo o que ele traz: passado, sonhos, projetos, manias, defeitos, cheiros, gostos. Amor é querer pensar no que vem depois, ficar sonhando com essa coisa que a gente chama de futuro, vida a dois. Acho que amor é não saber direito o que ele é, mas sentir tudo o que ele traz. É você pensar em desistir e desistir de ter pensado em desistir ao olhar pra cara da pessoa, ao sentir a paz que só aquela presença traz. É nos melhores e piores momentos da sua vida pensar preciso-contar-isso-pra-ele. É não querer mais ninguém pra dividir as contas e somar os sonhos. É querer proteger o outro de qualquer mal. É ter vontade de dormir abraçado e acordar junto. É sentir que vale a pena, porque o amor não é só festa, ele também é enterro. Precisamos enterrar nosso orgulho, prepotência, ciúme, egoísmo, nossas falhas, desajustes, nosso descompasso. O amor não é sempre entendimento, mas a busca dele. Acho que o amor não é o caminho mais fácil, pois mais fácil seria dizer a-gente-não-se-entende-a-gente-não-combina-tchau-tchau. O amor é uma tentativa eterna. E se você topar entrar nessa saiba que o amor encontrou você. Seja gentil, convide-o para entrar."

(Clarissa Corrêa)



Annie: Fale-me das aves, Enoch.
Enoch: O quê?
Annie: Os pássaros canoros. Por que eles cantam de manhã?
Enoch: Elas cantam porque estão felizes por estarem vivos mais um dia.
Annie: Tenho cantado todas as manhãs desde que conheci você.
Enoch: Não vou deixar você ir.
Annie: Deixe-me ir
Enoch: Não posso eu te amo, te amo tanto
Annie: Nunca estive tão feliz, nunca fui assim.

http://www.meninices.net


Hey, agora sou colaboradora no site Meninices !

Lá vou mostrar toda semana o esmalte que estou usando!

O site além de esmaltes mostrará também as tendências de moda, maquiagem e customização.

Espero que gostem! :)


A minha TV não se conteve
Atrevida passou a ter vida
Olhando pra mim.

Assistindo a todos os meus segredos,
minhas parcerias, dúvidas, medos,
Minha tv não obedece.

Não quer mais passar novela, sonha um dia em ser janela e não quer mais ficar no ar. Não quer papo com a antena nem saber se vale a pena ver de novo tudo que já vi.

Vi.

A minha TV não se esquece nem do preço nem da prece que faço pra mesma funcionar. Me disse que se rende a internet em suma não se submete a nada pra me informar.

Não quis mais saber de festa não pensou em ser honesta funcionando quando precisei. A notícia que esperava consegui na madrugada num site, flick, blog, fotolog que acessei.

A minha TV tá louca, me mandou calar a boca e não tirar a bunda do sofá. Mas eu sou facinho de marré-de-sí, se a maré subir eu vou me levantar. Não quero saber se é a cabo nem se minha assinatura vai mudar tudo que aprendi,
triste o fim do seriado, um bocado magoado sem saber o que será de mim.

Ela não SAP quem eu sou,
Ela não fala a minha língua.
(She doesn't speak my tongue)

Não.
"Pô tô cansado de toda essa merda que eles mostram na televisão todo dia mano, não aguento mais, é foda!"

Manda bala Fernando...

Enquanto pessoas perguntam por que, outras pessoas perguntam por que não?
Até porque não acredito no que é dito, no que é visto.
Acesso é poder e o poder é a informação. Qualquer palavra satisfaz. A garota, o rapaz e a paz quem traz, tanto faz. O valor é temporário, o amor imaginário e a festa é um perjúrio. Um minuto de silêncio é um minuto reservado de murmúrio, de anestesia. O sistema é nervoso e te acalma com a programação do dia, com a narrativa. A vida ingrata de quem acha que é notícia, de quem acha que é momento, na tua tela querem ensinar a fazer comida uma nação que não tem ovo na panela que não tem gesto, quem tem medo assimila toda forma de expressão como protesto.

Falou e disse...

Num passado remoto perdi meu controle...

Num passado remoto...

Era vida em preto e branco, quase nunca colorida reprisando coisas que não fiz, finalmente se acabando feito longa, feito curta que termina com final feliz..

Ela não SAP quem eu sou,
Ela não fala a minha língua.

Ela não SAP quem eu sou,
(Sabe nada...)
Ela não fala a minha língua.

Ela não SAP quem eu sou,
Ela não fala a minha língua.
(Quem te viu, pay-per-view.)

Ela não SAP quem eu sou,
Ela não fala a minha língua.

Eu não sei se pay-per-view ou se quem viu tudo fui eu.

A minha tv tá louca.

(Xaneu nº 5 - O Teatro Mágico)

"Liberdade na vida é ter um amor pra se prender. A gente reclama muito da dependência, mas como é maravilhosa a dependência, confiar no outro, confiar no outro a ponto de não somente repartir a memória, mas repartir as fantasias. Confiar no outro a ponto de esquecer quem se foi assim que o outro esteja junto, é talvez chegar em casa e contar seu dia e só sentir que teve um dia quando a gente conta como foi. É como se o ouvido da outra pessoa fosse nossos olhos.

Amar é uma confissão. Amar é justamente quando um sussurro funciona melhor que um grito. Amar é não ter vergonha de nossas dúvidas, é falar uma bobagem e ainda se sentir importante. É lavar louça e nunca estar sozinho. É arrumar a cama e nunca estar sozinho. É aquela vontade danada de andar de mãos dadas durante o dia e de pés dados durante a noite."

(Fabrício Carpinejar)

Tá muito linda ♥


Assisti esse filme ontem, achei que pelo nome seria uma comedia pastelão, mas me SURPREENDI positivamente. É um filme dramático, romântico e a comédia fica com o Tyler que encarna três personagens. Vale a pena assistir. Essa cena que coloquei é a mais emocionante do filme. Eu não sou evangélica, mas aplaudi de pé!


Você é um avião e eu sou um edifício
Eu sou um abrigo e você é um missil
Eu sou a mata e você é a moto-serra
Eu sou um terremoto e você a Terra.

O nosso jogo é perigoso, menina
Nós somos fogo e gasolina

Você é o fósforo e eu sou o pavio
Você é um torpedo e eu sou um navio
Você é o trem e eu sou o trilho
Eu sou o dedo e você é o meu gatilho

O nosso jogo é perigoso, menina
Nós somos fogo e gasolina
Nós somos fogo e gás

Eu sou a veia e você é a agulha
Eu sou o gás e você é a fagulha
Eu sou o fogo e você é a gasolina
Eu sou a pólvora e você a mina

O nosso jogo perigoso combina
Nós somos fogo e gasolina

(Fogo e gasolina - Roberta Sá)



 “Dar e aceitar carinho, por livre, espontânea vontade e sempre.”
 “Quando alguém gentilmente preparar uma comida para você, devore sorrindo, como se aquela fosse a melhor refeição que você já comeu na vida”.
 “Seja sempre curioso sobre o mundo em sua volta, especialmente quando conhecer novas pessoas na sua vida”. 
 “Tire cochilos”.
 “Perdoe os amigos que não tem tempo para brincar”.
“Saia sempre da sua rotina”.


Clipe muito bacana e com muitas cores que mostra a criação e destruição do mundo em questão de minutos!


“Observe onde a sua energia está fluindo nesse exato momento. Onde está a sua atenção? No coração? Na cabeça? Provavelmente na cabeça, viajando em pensamentos, memórias, sonhos, desejos. Tente perceber que você foi ensinado a ser assim. A sociedade, a civilização, a cultura, todas forçam a criança a ser mais lógica. Elas tentam focar a energia delas na cabeça. Uma vez que as energias estejam focadas na cabeça, torna-se muito difícil descer para o coração.

Na verdade, toda criança nasce com muita energia amorosa. A criança é cheia de amor, de confiança. Você já olhou nos olhos de uma criança pequena? A criança ainda não aprendeu a duvidar. Mas nós a ensinamos a dúvida, o ceticismo, a lógica. Parecem ser medidas de segurança. Nós ensinamos o medo, ensinamos a cautela, ensinamos a prudência, e toda essa coisa junta mata a possibilidade de amor. Pouco a pouco, as pessoas aprendem a não acreditar, a não confiar, a permanecerem cronicamente em dúvida. E isso ocorre tão vagarosamente, em doses tão pequenas, que você nunca está alerta para o que está acontecendo com você. E quando você percebe, é tarde demais.

Talvez ninguém possa enganá-lo, mas você enganou a si mesmo. Você perdeu tudo aquilo que era valioso.
Então um fenômeno muito estranho acontece: você não pode amar pessoas, porque pessoas podem enganar. E como há uma grande necessidade de amar, as pessoas vão buscando substitutos: alguém ama a sua casa, alguém ama o seu carro, alguém ama as suas roupas, alguém ama o seu dinheiro. É claro, a casa não pode enganá-lo, o amor não corre risco. Você pode amar o carro – um carro é mais confiável do que uma pessoa real. Você pode amar o dinheiro. Por que tantas pessoas amam coisas em vez de pessoas? E até mesmo quando amam uma pessoa, elas tentam reduzir a pessoa a uma coisa.

Se você ama uma mulher, você está de imediato, pronto para reduzi-la a determinado papel: o papel de esposa, mais previsível do que a realidade de uma amada. Se você ama um homem, você está pronta para possuí-lo como uma coisa. Você quer que ele seja seu marido, porque um amante é mais líquido, nunca se sabe… Um marido parece algo mais sólido. Assim que as pessoas se apaixonam, elas estão prontas para o casamento – tal é o medo do amor. E seja quem for que amemos, começamos a tentar controlar. Esse é o conflito que permanece entre esposas e maridos, mães e filhos, irmãos e irmãs, amigos – quem vai possuir quem? E isso significa: quem vai definir quem, quem vai reduzir quem a uma coisa? Quem será o senhor e quem será o escravo?

No momento em que você toma conhecimento de que é isso o que está acontecendo, mude o fluxo: faça todos os esforços para contatar novamente o coração. Refaça o contato com o coração para desfazer o que foi feito a você pela sociedade.“

(Osho)

Aproveitando o esmalte da semana passada, o Aspen 040 da Realce, usei o glitter bafao da Penelope Luz, o Yin Yang!


Peguei emprestado da minha friend porque estava morrendo de vontade de usá-lo com esse cinza lindo!


Adorei os glitters, passei apenas uma camada e já espalhou bem!


Enfim, ficou lindo! E lá vai o cinza mais uma semana na minha mão rs!


Sem você, eu sumo
Eu morro de fome
Eu perco meu rumo
Eu fico menor
Eu tenho o seu gosto
Eu sou do seu jeito
A cor do seu rosto
Eu já sei de cor
Mas se você planeja
Nos partir ao meio
Então nem pestaneja
E faça sem dó
O meu desespero
É que quando acaba
Você fica inteiro
E eu fico o pó

(Um só - Clarice Falcão)


Comprei esses dias o Aspen 040 da Realce e fiquei doida pra usar!


Ele e cinza, mas tem um fundinho de azul tambem, muito tranquilo de esmaltar, usei apenas duas camadas e sem top coat!


Essa foto e do quinto dia de esmaltacao, sem top coat desde quando feita e esmalte intacto, a foto esta meio desfocada devido eu ter tirado do celular! Ele ainda vai durar um pouquinho na minha mao. 

Ja mostro a novidade! rs

Não é muito mas é o máximo dentro das limitações dele ♥

Complexo da Maré, Av. Brasil. Foto: Larissa Mattos

Copyright © 2011 Quero refletir amor.... Designed by MakeQuick, blogger theme by Blog and Web | Posts RSS | Comments RSS